quarta-feira, janeiro 19, 2011

Fragmentos de Sombra e Luz - Ausência [1]

Decifra-me enquanto estou vivo.
Amanhã meu coração pode simplesmente não pulsar.
E o pesar do ocorrido pode ser maior que a dor dilacerante do fato consumado.
Devora-me agora...
O entardecer pode tardar a reciprocidade com que o sol nasce
Ou a chuva cai molhando seu lindo rosto.
Sinta-me... 
Mas sinta-me agora, porque há de chegar o momento
em que eu me torne pó e não seja possível deliciar-se 
com minha presença que hoje é constante.
Amanhã posso simplesmente não mais existir.
Coexista comigo, não importa se agora ou ontem
Apenas coexista, eu sempre estarei aqui...
Pelo menos enquanto pulsar aí a reciprocidade que emana daqui.




I.C.A. - Por que eu te amo e isso é o que importa... 

Nenhum comentário:

Postar um comentário