quinta-feira, novembro 25, 2010

Incoerência

Me jogo em seus braços e repudio sua ignorância.
Você diz me conhecer, você diz saber.
Você me conhece?
Eu te conheço?
Somos estranhos em um mesmo ambiente, somos parceiros de uma mesma solidão.
Nos encontramos e logo estaremos em nosso caminho, separados pelo tempo e pelo espaço.
Nos ferimos e aprendemos; aprendemos?
Ou voltaremos de lá com os mesmos erros e uma nova identidade?
Eu sou um corpo, talvez seja uma informação suficiente.
O que você quer e espera? O que é mesmo relevante pra você?
Cada um olhe para seu umbigo neste mar de individualidade que se chama a vida no planeta terra!
Eu me recuso a aceitar tamanha superficialidade, mas minha recusa se dá por uma tentativa bruta e superficial.
Amor, lágrimas e violência.
Arte e ilusão...



Uma outra ignorância, de nossas incoerências.

Anjo escreve.

Nenhum comentário:

Postar um comentário