domingo, abril 11, 2010

Eu, o Meninniinho™

Certas coisas em nossas vidas são difíceis...
Conquistas, vitórias, quedas, derrotas...
Para mim nada disso tinha sentido algum até certo momento
Foi nesse dado momento no tempo que comecei a perceber tudo que estava ao meu redor.
Percebi a vida, a dor, a solidão...
A amizade, o companheirismo, o amor.

Eu, o Meninniinho™ que aqui vos escreve periodicamente tem algumas coisas a dizer...

Palavras novas reacrescentadas ao meu dicionário de vida:
  • Recomeçar: Tive que aprender a engolir o significado dessa palavra em todos os sentidos.
  • Desilusão: Nem todo mundo que demonstra algo por você te fará feliz, mas enquanto fizer aproveite o máximo possível esse momento.
  • Desistir: Mesmo que vocês estejam convictos de tudo, mesmo que vocês conheçam 99,99% de algo, alguém ou alguma coisa, nunca se esqueça que 'desistir' é algo irrevogável e essa palavra vai lhe perseguir até você tomar uma decisão.
  • Decisão: As vezes a parte mais dolorosa de tudo, o momento de decidir o que fazer, onde caminhar, com quem caminhar. Momento triste da história, assim como o 'desistir'
Palavras que ganharam limites ao meu dicionário de vida:
  • Acreditar: É difícil não acreditar no óbvio, mas tente acreditar no que é óbvio apenas para você...
  • Paciência: Vocês que se acham pacientes só descobrirão o verdadeiro significado dessa palavra quando esperarem mais de 1 ano por uma resposta de uma pergunta simples e não obtê-la.
  • Calma: Essa com o tempo é trocada por outras como: Ignorante, rude, grosso, frio...
  • Medo: Quando você deixa de sentir medo do desconhecido parece que tudo fica belo e perfeito, no entanto, quando você se analisa, você acaba por ter medo de si mesmo. É irônico isso, não temer outras coisas e temer a si próprio; é cansativo também...
Verdades que perturbam:
  • Não é mais segredo pra ninguém quem é/foi a pessoa que mais me deu forças, mesmo que indiretamente, para escrever bem assim como vocês dizem.
  • Como uma amiga me disse à poucos dias: "Cala a boca e me escuta, você vai esperar, vai tentar conversar e se não der certo tenta seguir em frente sem se machucar nem machucar ninguém. Use o blog, como você faz de costume, se não funcionar, tenta outra coisa que achar melhor, depois você ora se nada der certo, se levanta e segue."
  • Quantas foram as mulheres que lhe procuraram nos últimos 3 meses com interesse 'carnal'? R-Não vou citar nomes, mas foram 4 +/- e também não precisa de detalhes.
  • Quantas vezes você achou que deveria desistir e se escondeu de si mesmo? R- Várias vezes, até perceber o quanto eu tinha deixado de viver.
  • Se hoje você pudesse apagar um pedaço dos seus últimos 6 anos de vida, qual apagaria se pudesse mudar o presente? R- Duas mortes e uma longa espera.
  • Se tivesse direito a um último desejo antes de partir, qual seria seu desejo? R- Não se esqueçam de mim, nenhum dos que me conhecem e os que ainda não me conhecem pessoalmente também.
As dúvidas nunca sanadas:
  • Porque tudo acabou? R- Isso é uma pergunta que não arrisco responder, até porque não gosto de dar margem aos outros e cair em erro.
  • Se dependesse de você, você tentaria esquecer as perdas dos últimos anos? R- Já tentei e aprendi que colocar os problemas de lado só os aumenta.
  • Porque você ainda não havia se "movido" esperança que lhe deram ou receio? R- Esperança com provas concretas para quem não acreditar.
  • Se pai faleceu e sua mãe me disse que você se parece com ele em quase tudo, é verdade? R- Sim, mas como ela mesma disse, eu sou uma versão de meu pai um pouco diferente. Do meu ponto de vista; mais frio, mais imprevisível, com menos defeitos (apesar de ter muitos).
Atualidades:
  • Sabemos que você tem estado distante de nós e que você também está um pouco "diferente". Há rumores que esteja namorando, e você está mais 'aberto' por assim dizer, o que de fato está acontecendo? O que é verdade? R- Não estou namorando apesar dos vários rumores. É verdade que estou mais distante e qual o problema disso? Quando me faço presente muitos de vocês não estão nem aí para isso.
  • Quem é "meu bê"? R- Não é uma pessoa, e sim uma forma carinhosa de chamar algumas pessoas especiais. Não fique chateada se não a chamo assim.
  • Dou-lhe o direito de se arrepender de algo dos seus últimos 2 anos. Do que se arrepende? R- Nada, tudo foi uma experiência que me tornou uma pessoa melhor. Pode não parecer para vocês que me vêem uma vez a cada 1, 2 meses, mas é perceptível aos olhos de quem está mais próximo.
  • Uma pergunta para: Seus amigos mais próximos? Seus familiares? Para Ela? Para si mesmo? R- 1º Porque somem e dizem que sou "falso" e coisas do gênero? 2º Porque me julgam se vocês nem me vêem em casa? 3º Porque você evita toda vez que tento conversar pessoalmente contigo? Não sou bicho... 4º Escrever uma biografia para lembrar ou uma biografia para publicar? (Ambas com relação a esse romance)
Um final para tudo isso:
  • Vou seguir em frente, mesmo que incomodo e estranho, vou seguir. Eu ainda a amo, mas, amar é saber deixar livre quem se ama para só assim os caminhos poderem se cruzar futuramente, se for da vontade de Deus. Mas um dia percebemos que o amor tem várias formas e que todas elas tendem a te apresentar pessoas diferentes: Amigos (as), ficantes, namoradas, irmãs (os) de consideração, tios, sobrinhos e com isso vemos o quanto é importante ter muito amor no coração.
  • Não importa se alguém é importante para você, o que importa é saber se você é importante para outrem e isso só se descobre fazendo sempre o que é bom, sendo sempre verdadeiro e sincero. Somos importantes para pessoas que as vezes pensamos nos desprezar e por vezes damos valor a pessoas que na verdade não estão nem ligando se existimos ou não. Muitas vezes o que importa é coexistirmos com elas nos momentos em que lhes é conveniente, exemplo disso são alguns membros de minha família.
Uma mensagem para seus leitores:

Pessoas se tornam fortes, pois existem memórias que elas não se esquecem.



Continuo outro dia, já está tarde e preciso dormir!
I.C.A. - Never sleep, never die!

2 comentários:

  1. nossa!!! quanta informação!!
    como já esperava..
    vi assuntos possiveis de uma interpretação, vi antigos mistérios serem elucidados.

    porque eu senti como se fosse uma despedida?
    será que surtei?

    uma leitora assidua.
    preciso aprender a voar.

    kisses

    ResponderExcluir
  2. "Será que surtei?"
    Me fiz essa mesma pergunta várias vezes enquanto tomava decisões e discorria os dedos sobre o teclado digitando esse texto.
    Paralelo à essa escrita, perguntava para alguém o significado de algumas palavras ao seu ponto de vista.

    Talvez tenha sido o início de uma despedida. Ainda continuo esse texto em outro momento.
    No mais... Paciência, porque amar também dói.

    ResponderExcluir