sexta-feira, julho 24, 2009

3º Devaneio... - (Ela) part. 3 (Final) - Depois de um tempo você percebe...

Depois de um tempo você percebe...

Depois de um tempo você percebe a diferença
A sutil diferença entre querer estar perto de alguém
E amar alguém
É nesse momento no tempo que você chora
Principalmente se seu amor
É um amor impossível ou improvável
Dói é verdade...
Com lágrimas nos olhos
Eu escrevo esse texto e choro...
Sem medos, aflições ou qualquer coisa do gênero
Eu te amei, te amo e vou continuar te amando enquanto estiver vivo
Você me ensinou o que verdadeiramente era o amor
Você plantou e cultivou em mim esse sentimento
Não espero que o colha...
Mas ainda sim acredito que veja o que plantou pelo menos.
Espero apenas que se lembre um dia
Que em algum lugar um coração pulsa incessantemente pelo seu,
Enquanto o seu não sabe o que fazer.
“Você não sabe que os anseios do seu coração
São muito mais pra mim
Do que as razões que eu tenha pra dizer que não e eu sempre digo sim.
E ainda que a realidade me limite,
A fantasia dos meus sonhos me permite
Que eu faça mais do que as loucuras que eu já fiz pra te fazer feliz
Você só sabe que te amo tanto
Mas na verdade meu amor não sabe quanto
E se soubesse iria compreender
Razões que só quem ama assim pode entender
Você não sabe quanta coisa eu faria por um sorriso seu
Você não sabe até onde chegaria amor igual ao meu
Mas se preciso for, eu faço muito mais,
Mesmo que eu sofra
Ainda sim eu sou capaz de muito mais
Do que as loucuras que já fiz pra te fazer feliz”



E aqui termina o 3º Devaneio.
As lágrimas tomaram meu rosto
E meu coração palpita
Queria poder estar ao seu lado e dizer tudo que sinto
Mas me resta apenas a percepção de que amar
É ficar com a lembrança de um amor verdadeiro e puro
Mesmo sabendo que ele é infinito,
Tenho a clareza da realidade e a dor da saudade.

Ainda lembro: ”Ian: - Quero esquecer e não consigo. É mais forte que eu.
Vanessa (amiga): Pare com isso Ian, Como você pode esquecer algo que faz parte de você.
Ame-a, apenas ame-a... ”


Obs.: “Vou te jogar no vento...” E aqui estou Eu. Sendo levado pela brisa de um amor que não morre... Não cessa... Não cansa.

Eu te amo!

Ian Calmon Alexandre.

Nenhum comentário:

Postar um comentário